Efeito porta como evitar os lapsos de memória

por Ângela Núbia Carvalho Sousa publicado 18/06/2022 14h21, última modificação 18/06/2022 14h21
A condição ocorre quando o indivíduo está em um estado cognitivo vulnerável, com a mente muito sobrecarregada

Termo criado pelo cientista cognitivo Tom Stafford, que estuda lapsos de memória, o efeito porta acontece quando a pessoa esquece o que ia fazer quando entra em outro ambiente. Ou seja, a memória falha, literalmente, ao cruzar uma porta.

Dois estudos coordenados pela Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos, e a Bond University, na Austrália, e publicado na BMC Psychology, comprovam a tese: quando o indivíduo passa por uma porta, pode ter lapsos de memória em relação a objetos, coisas materiais.

O típico exemplo: você vai ao quarto procurar o fone de ouvido para ouvir música enquanto lava a louça. Ao entrar no quarto, esquece completamente o que ia pegar. Tenta lembrar, não consegue e desiste, voltando para a louça sem o fone de ouvido. Ou pior: quando entra no quarto, seu celular toca na sala e você vai atender. No trajeto cozinha-quarto-sala, a mente já esqueceu da louça e do fone de ouvido.

Por que isso acontece

Segundo o mestre em Psiquiatria pela UNIFESP, pesquisador no Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP e Membro da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Adiel Rios, o que desencadeia o esquecimento é a transição de um ambiente para outro.

"O simples ato de entrar ou sair por uma porta representa uma espécie de limite de evento na mente. Quando você muda de ambiente, muda também o foco de atenção, compartimenta a memória e a lembrança se torna mais difícil", explica.

Entretanto, o efeito porta só ocorre se a pessoa estiver em um estado cognitivo vulnerável, com a mente muito sobrecarregada, conforme indica a psiquiatra na Escola Paulista de Medicina UNIFESP e especialista pela ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), Danielle H. Admoni.

"Diariamente, ficamos expostos a uma quantidade enorme de estímulos, nos motivando a fazer várias tarefas simultaneamente. O problema é que o cérebro não está acostumado a receber tantos estímulos e a processar inúmeras informações de uma vez só. O resultado é o esgotamento mental, podendo saturar o córtex cerebral, gerando uma mente hiperpensante, agitada, impaciente, com bloqueio criativo, baixo nível de tolerância e, claro, prejuízos na memória", ensina.

Como evitar o efeito porta

Como a condição está diretamente relacionada ao esgotamento mental, é imprescindível melhorar os hábitos de vida, incluindo atividades que beneficiem corpo e mente, como dormir bem, ter uma alimentação equilibrada, reduzir o consumo de álcool, ter vida social, ler, ouvir música, entre outras.

"A meditação também desempenha um papel importante no equilíbrio pessoal e contribui para o relaxamento e o descanso em um nível mais profundo, podendo ser praticada em casa, inclusive em uma pausa do trabalho", complementa Adiel Rios.

Atividade física é fundamental. Segundo um estudo publicado na Neuroimage, realizado em 51 homens e mulheres saudáveis, entre 18 e 55 ano, aqueles que apresentavam aptidão física mais elevada tinham um hipocampo mais firme e elástico e se saíram melhor nos testes de memória.

- Relacione o que você quer lembrar com algum lugar, ou ainda agrupar informações importantes em uma sequência temporal, com começo, meio e fim.

- Evite que outro pensamento ocupe sua mente enquanto você estiver realizando uma tarefa. "Pessoas com alto nível de concentração têm mais facilidade de memorização", afirma Adiel.

- Alguns jogos proporcionam uma melhora perceptível à memória, como xadrez, quebra-cabeça, palavras cruzadas, jogo da memória e o Genius.

- Assista a um episódio de uma série, ou um filme, e anote em seguida o maior número de detalhes que lembrar.

- Ouça uma história e conte a alguém da forma mais fiel possível.

- Visualize mentalmente o trajeto de sua casa para algum lugar da cidade.

- O estudo é um dos maiores estimulantes mentais. A leitura, principalmente, exercita a imaginação, o raciocínio e a memorização. Uma boa dica é resumir em texto o que foi lido ou estudado.

"A forma como vemos o mundo e respondemos aos conflitos tem grande influência na saúde mental. Prova disso é que quanto mais pensamos em um determinado problema, mais nosso corpo responde com sintomas de estresse. Uma maneira de amenizá-los é desenvolver formas saudáveis de lidar com as próprias emoções. Nesse sentido, a psicoterapia surge como uma aliada para o autoconhecimento, o autocontrole e a inteligência emocional", finaliza Danielle Admoni.


 


Fonte: Estado de Minas

Imagem: FGR/Divulgação

Agedgedon
Agedgedon disse:
28/07/2022 15h20
Cialis Levitra Together <a href=https://buycialikonline.com>cialis generic name</a> Canada Prescriptions Online Prices
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.